The great riches of our seas have been depleted and forgotten

Just as overfishing impoverishes the life of the sea, the forgetting impoverishes our own lives

George Monbiot, The Guardian, September 7, 2012

Researching the history of ecosystems, it is not long before you make an arresting discovery. Great abundance of the kind that exists in the tropics – or existed until recently – was once almost universal. With a very few exceptions, every major ecosystem had a megafauna; every major ecosystem witnessed vast migrations of mammals, birds or fish; every major ecosystem possessed an abundance of animal life orders of magnitude greater than current abundance in the temperate nations. In some cases the ecosystems these life forms created were a world apart from those we now know. Continue lendo

Anúncios

O consumo insustentável e os oceanos à beira de uma catástrofe

Henrique Cortez, EcoDebate, 16 de agosto de 2012

O rápido esgotamento dos estoques pesqueiros e a crescente degradação dos ecossistemas marinhos são temas que muitas pessoas já ouviram falar, mas, definitivamente, não se importam ou não se preocupam. A acidificação dos oceanos, em razão do aumento da concentração do CO2 atmosférico, o aquecimento global e as mudanças climáticas ameaçam os ecossistemas marinhos e, diante da inação global, esta ameaça é crescente. Como se não bastasse, a superexploração em razão do consumo insustentável, ameaçam os oceanos ainda mais rapidamente do que o aumento da concentração do CO2 atmosférico. Continue lendo

É preciso salvar o Atum de Barbatana Azul

Ambientalistas reclamam dos governos medidas drásticas para salvar o atum de barbatana azul do Atlântico (peixe muito utilizado para a confecção de sushi), à beira da extinção, durante uma reunião internacional na capital francesa

A. D. McKenzie, IPS/Envolverde, 29 de novembro de 2010

Organizações como o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), Pew Environment Group e Greenpeace orquestraram uma forte campanha por ocasião deste encontro em Paris da Comissão Internacional para a Conservação do Atum Atlântico (Cicaa), que vai até o dia 27. Continue lendo

Ambientalismo mostra fragilidade eleitoral

Mario Osava, IPS, 13 de outubro de 2010 

Rio Branco, Acre, Brasil – Sustentar nas urnas políticas que seja priorizado o meio ambiente é um desafio que ainda não tem uma resposta clara, sobretudo em áreas mais carentes de infraestrutura, como a Amazônia brasileira. A animadora votação obtida no dia 3 deste mês por Marina Silva, do Partido Verde, pode induzir a enganos. Além de conseguir muitos votos baseados em questões religiosas por sua fé evangélica, Marina Silva teve resultados decepcionantes em sua terra natal e berço político, o Acre, no extremo oeste do país, símbolo do ambientalismo no Brasil.

Em seu Estado, obteve 23,55% dos votos válidos, apenas superando os 19,33% que obteve em todo o país e muito longe dos 41,98% que recebeu no Distrito Federal. Sua votação se concentrou nas grandes capitais. A candidata e ex-ministra do Meio Ambiente perdeu muitos votos, sobretudo no interior do Acre, devido aos interesses imediatos de pescadores, camponeses e comerciantes, entre outros, que se sentem contrariados por leis e iniciativas ambientais. Continue lendo

It’s Not Just BP’s Oil in the Gulf That Threatens World’s Oceans

Les Blumenthal, McClatchy Newspapers, July 4, 2010

WASHINGTON – A sobering new report warns that the oceans face a “fundamental and irreversible ecological transformation” not seen in millions of years as greenhouse gases and climate change already have affected temperature, acidity, sea and oxygen levels, the food chain and possibly major currents that could alter global weather. Continue lendo

Caça à baleia continuará… impunemente

A Comissão Baleeira Internacional (CBI), reunida esta semana em Agadir, Marrocos, à procura de um compromisso entre os países contra e defensores da caça à baleia, reconheceu que as negociações chegaram a um beco sem saída.

Esquerda.net, 24 de junho de 2010

“A proposta que estava em cima da mesa morreu”, disse o comissário alemão Gert Lindemann, durante a assembleia plenária da passada quarta-feira. Não houve acordo para a substituição da moratória sobre a caça à baleia. As delegações dos 74 países presentes na reunião da Comissão Internacional da Baleia não conseguiram entender-se. Continue lendo

E se o atum desaparecer…

A resistência em proibir o comércio de atum azul deixa livre o caminho para a pesca industrial com consequências imprevisíveis, segundo especialistas, para o desequilíbrio ecológico dos mares.

Julio Godoy, Terramerica, 23 de maio de 2010

O atum azul, um dos peixes predadores mais importantes do Oceano Atlântico e do Mar Mediterrâneo, está condenado à extinção em 2012, pela falta de ação dos governos do Norte e organismos internacionais de controle, preveem biólogos marinhos e organizações ambientalistas. Embora este alerta não seja uma novidade, os ativistas insistem que é oportuna em vista da incapacidade dos países industrializados, em particular dos membros da União Europeia (UE) e do Japão, de impedir o desaparecimento de espécies marinhas essenciais para a proteção da biodiversidade. Continue lendo