Para além da temporada dos furacões

Não há razão para supor que qualquer forma de normalidade venha a ser recuperada na economia mundial em menos do que quatro ou cinco anos, provavelmente ainda mais

Fernando Cardim de Carvalho,Valor, 11 de setembro de 2012

Segundo ele, “as perspectivas para o Brasil no futuro próximo não podem deixar de ser preocupantes. A ênfase no mercado doméstico é destino, mais do que escolha”. Pois, “o Brasil tem o privilégio de contar com um mercado interno promissor. Resta saber se teremos a perícia necessária para concretizar essa promessa”. Continue lendo

Anúncios