Nasa finds 715 new planets

extrasolarKepler space telescope’s discoveries include four planets that could hold liquid surface water, believed to be key for life

Reuters / theguardian.com, February 27, 2014

Scientists added a record 715 more planets to the list of known worlds beyond the solar system, boosting the overall tally to nearly 1,700, astronomers said on Wednesday. The additions include four planets about two and a half times as big as Earth that are the right distance from their parent stars for liquid surface water, which is believed to be key for life.

The discoveries were made with the National Aeronautics and Space Administration’s planet-hunting Kepler space telescope before it was sidelined by a pointing system problem last year. The telescope, launched in 2009, spent four productive years staring at 160,000 target stars for signs of planets passing by, relative to the telescope’s line of sight.

The tally of planets announced at a Nasa press conference on Wednesday boosted Kepler’s confirmed planet count from 246 to 961. Combined with other telescopes’ results, the headcount of planets beyond the solar system, or exoplanets, now numbers nearly 1,700. “We almost doubled, just today, the number of planets known to humanity,” astronomer Douglas Hudgins, head of exoplanet exploration at Nasa headquarters in Washington, told reporters on a conference call. Continue lendo

À sombra dos grandes asteroides

meteorcraterA curto prazo, o seu risco é irrelevante. Mas a história mostra: mesmo a colisão de um objeto astronomicamente pequeno pode abalar a vida terrestre.

Joel Achenbach, Outras palavras, 16 de fevereiro de 2013

Nesta sexta-feira, a Terra viu-se em meio a um tiroteio cósmico. O petardo maior veio do Sul; o menor, do Leste. Eram objetos sem relação entre si, com órbitas distintas. Um, do tamenho de um prédio de apartamentos; o outro, bem menor, mas com mira mais precisa.

O asteróide maior errou o alvo por 28 mil quilômetros, como esperado, mas o meteoro russo roubou o espetáculo, caindo como bola de fogo entre os Montes Urais e explodindo em fragmentos, criando uma poderosa onda de choque que estourou vidraças, derrubou telhados e feriu 1,2 mil pessoas — a maior parte, vítima de vidros partidos.

Foi com certeza o meteoro mais intensamente documentado na História — capturado por inúmeros motoristas russos, com suas câmeras acopladas a celulares. O espetáculo marcou um dia extraordinário para o planeta. O objeto, que explodiu sobre a cidade industrial de Chelyabinsk, causou o maior impacto humano num século e foi o primeiro, nesse período, a provocar vítimas — ao menos 48 pessoas hospitalizadas. Continue lendo

‘O Big Bang é semelhante a um buraco negro, mas ao contrário’

Alicia Rivera entrevista Kip Thorne, El País, 23 de março de 2011. A tradução é do Cepat. Reproduzido do IHU On-line.

Kip Thorne é um dos maiores especialistas do mundo em buracos negros, esses objetos do universo tão populares seguramente por sua violência extrema, porque engolem para sempre qualquer coisa que se aproxime demais, inclusive a luz. Thorne também gosta deles, e tem seus motivos: “Me fascinam porque neles muitas leis da física que conhecemos, não se aplicam, e assim podemos aprender coisas novas da natureza: para mim, um buraco negro é um laboratório onde se pode estudar como se comporta o espaço”. Continue lendo

The 4% Universe by Richard Panek – review

Physicists are beginning to understand the immensity of the universe

Richard Lea, The Guardian, March 19, 2011

Ever since Galileo turned his telescope on Jupiter and saw the dance of its orbiting moons, we have become used to the notion that there is more to the universe than meets the eye. Not content with finding new moons, predicting comets or revealing planets, the astronomers of the 20th century radically expanded our horizons, and definitively toppled mankind from its place at the centre of things. First they found we are situated in the suburbs of a galaxy far larger than anyone had ever supposed, and then that this galaxy is surrounded at almost unimaginable distances by almost unfathomably many other galaxies, which are all rushing away from each other at almost unbelievably high speeds as the universe expands. But as the 20th century came to an end it became clear that even this immensity is only a small fraction of the universe that surrounds us. Continue lendo

Nasa cogita explorar Titã, lua de Saturno

Alberto Elfes, engenheiro brasileiro do Laboratório de Propulsão a Jato da agência espacial, fala sobre missões comandadas por robôs

Alexandre Gonçalves, O Estado de S. Paulo, 5 de março de 2011

No mês passado, Barack Obama anunciou a inclusão da Nasa no seu plano de corte de gastos. As prioridades da agência nas próximas décadas ainda não foram definidas, mas devem refletir a nova situação. Missões não-tripuladas, como a dos robôs marcianos, podem ganhar destaque: além de um custo menor, oferecem maior segurança de resultados. Continue lendo

Solar storms could create $2tn ‘global Katrina’, warns chief scientist

GPS systems and electricity networks are increasingly vulnerable to damage by turbulent solar weather, scientists say

Alok Jha, The Guardian, February 21, 2011

The threat of solar storms that could wreak havoc on the world’s electronic systems must be taken more seriously, the UK government’s chief scientist has warned. A severe solar storm could damage satellites and power grids around the world, he said, leading to a “global Katrina” costing the world’s economies as much as $2tn (£1.2tn). Continue lendo

Europeus flagram o primeiro planeta de outra galáxia

Astro é um gigante gasoso, como Júpiter, mas 25% maior do que ele

Giuliana Miranda, Folha de S.Paulo, 19 de novembro de 2010

Nem mesmo a Via Láctea está livre dos penetras. Astrônomos europeus acabam de encontrar um planeta vindo de outra galáxia bem na nossa vizinhança cósmica. Continue lendo

Supercomputador simula como seria o Sistema Solar visto de longe

Falha na poeira do cinturão de Kuiper denunciaria o planeta Netuno para um observador alienígena

estadão.com.br, 24 de setembro de 2010

Novas simulações de supercomputador rastreando interações de milhares de grãos de poeira mostram como o Sistema Solar pode parecer para um astrônomo alienígena em busca de planetas. Os modelos também oferecem um vislumbre de como essa visão pode ter mudado à medida que o Sistema Solar amadureceu. Continue lendo

Equipe de cientistas constrói câmera para observar 300 milhões de galáxias

Alicia Rivera, El País / Portal Uol, 20 de setembro de 2010

Quando os cientistas tropeçam numa surpresa, em algo que não compreendem, não ficam de braços cruzados, extasiados, mas imediatamente começam a inventar experimentos e observações para vencer o mistério, mais ainda quando se trata de uma descoberta que altera em grande medida o conhecimento que se tem da evolução do universo. Trata-se da energia escura, cuja existência era desconhecida há pouco mais de uma década e que agora atrai a atenção dos cosmólogos do mundo todo. Não era para menos: segundo as observações mais precisas realizadas, a energia escura constitui 72% de todo o universo e não se sabe o que ela é e a que leis obedece, mas está presente e é observada. Continue lendo

Astrônomos flagram estrela devorando outra e gerando planetas

Desde que foi descoberta há 15 anos, a estrela vem confundindo os cientistas

estadão.com.br, 14 de setembro de 2010

Uma equipe de astrônomos pode ter flagrado uma estrela no ato de devorar outra e criando uma segunda geração de planetas a partir do disco de “sobras”.

Usando dados do Observatório de Raios X Chandra, o grupo de Joel Kastner, do Instituto de Tecnologia de Rochester, encontrou sinais de que uma estrela variável na constelação de peixes, BP Piscium, não é a estrela jovem que aparenta ser, mas sim uma gigante vermelha que engoliu uma estrela ou planeta da vizinhança, diz nota divulgada pelo instituto. Continue lendo

Planetas gigantes e quentes podem ter vida curta, diz estudo

Gravidade da estrela que orbitam pode acabar por destruí-los, de acordo com teoria da Nasa

estadão.com.br, 9 de setembro de 2010

A maioria dos “Jupíteres quentes” que os astrônomos buscam em aglomerados de estrelas provavelmente já foram destruídos há tempos, diz artigo aceito para publicação no Astrophysical Journal. Os autores, John Debes e Brian Jackson, da Nasa, levantam a hipótese para explicar por que nenhum planeta de trânsito – mundos que cruzam a linha de visão entre suas estrelas e a Terra – jamais foi observado em aglomerados estelares. Continue lendo

Descoberto sistema planetário semelhante ao sistema solar

Uma equipa europeia de astrónomos, da qual fazem parte dois portugueses, descobriu um sistema planetário muito idêntico ao da Terra composto por sete planetas, a 127 anos-luz, na constelação de Hidra.

Esquerda.net, 24 de  agosto de 2010

“A maior importância da descoberta é que encontrámos um sistema solar muito idêntico ao nosso, com quase tantos planetas. Até aqui o máximo que se conhecia era sistemas com cinco planetas, o nosso tem oito e nós agora conseguimos descobrir um com sete”, disse esta terça-feira à Lusa um dos membros da equipa de astrónomos, Alexandre Correia da Universidade de Aveiro. Continue lendo

Explosão de raios X de intensidade recorde cega observatório espacial

Fenômeno foi milhares de vezes mais intenso que a maior fonte de raios X conhecida no espaço

Estadao.com.br, 14 de julho de 2010

O feixe de raios X mais brilhante já detectado vindo de fora da região da Via Láctea cegou, temporariamente, a câmera do Observatório Espacial Swift, da Nasa, informam astrônomos. Continue lendo

Hubble completa 20 anos com promessa de operar até 2013

Apesar de apresentar problemas, eficiência de telescópio espacial é consenso entre astrônomos

BBC Brasil, O Estado de S.Paulo, 23 de abril de 2010

O telescópio espacial Hubble completa 20 anos em órbita neste sábado. Para marcar a data, a Nasa, agência espacial americana, e a Agência Espacial Europeia (AEE) divulgaram imagens inéditas produzidas pelo aparelho de uma pequena parte da nebulosa Eta Carinae, conhecida como uma das maiores regiões de nascimentos de estrelas da galáxia. Continue lendo