Günter Grass critica Merkel e apoia Grécia em novo poema controverso

O escritor Günter Grass voltou a publicar um poema no jornal alemão Süddeutsche Zeitung, desta vez a criticar a política da Europa em relação à Grécia, lamentando que esta, por estar a enfrentar uma crise económica, esteja a ser humilhada. “A Vergonha da Europa” é o título do poema.

Esquerda.net, 28 de maio de 2012

Quase dois meses depois de ter comparado Israel com as ditaduras, Günter Grass voltou a publicar um poema no jornal alemão Süddeutsche Zeitung desta vez a criticar a política da Europa em relação à Grécia, lamentando que esta, por estar a enfrentar uma crise económica, esteja a ser humilhada.

“A Vergonha da Europa”, assim intitulou o seu poema o escritor alemão, que não se conteve nas críticas à atitude da chanceler alemã Angela Merkel, que defende que a austeridade é a única forma de a Grécia suplantar a crise que atravessa. Nos seus versos, o Nobel da Literatura lembra ainda a história da Grécia, a quem a Europa muito deve. “Tu vais definhar privada de alma sem o país que te concebeu, tu, Europa”, escreveu Günter Grass, num poema com 12 estrofes de dois versos cada, citado pelo Público.

Num diálogo direto com a Europa, o escritor vai ainda mais longe e evidencia que é graças à riqueza histórica da Grécia, conhecida como fundadora do pensamento ocidental, que muitos museus vivem. “Tu afastas-te do país que foi o teu berço, próximo do caos, porque não conforme aos mercados”, escreve Grass, acrescentando que a Grécia “condenada à pobreza, cujas riquezas ornamentam os museus”, é “agora mal tolerada”.

“Humilhado, porque crivado de dívidas, um país sofre”, conclui.

Numa referência à história da filosofia antiga, Günter Grass termina o poema escrevendo que a Europa está a obrigar a Grécia a beber de um copo envenenado, tal como Sócrates bebeu a cicuta e foi injustamente condenado pelos atenienses, segundo o relato do filósofo grego Platão, em Apologia de Sócrates.

Segundo noticia o The Independent, o poema não passou despercebido e está já a gerar controvérsia na Alemanha: para Günther Krichbaum, presidente da comissão de assuntos europeus do Bundestag (Parlamento alemão), membro do partido de Merkel, as palavras de Günter Grass ignoram a realidade, “particularmente a realidade de que a Grécia foi enormemente ajudada com enormes esforços que, no fim, não vêm dos estados mas sim dos cidadãos e das suas carteiras”.

Em Abril, Günther Grass foi considerado “persona non grata” pelo governo israelita, depois de ter publicado um poema no qual advertia que o Estado judaico era uma ameaça para o mundo devido ao seu poder nuclear.

Defensor de causas de esquerda e que se manifestou por exemplo contra as intervenções militares no Iraque, o escritor alemão foi durante décadas considerado uma espécie de “consciência moral” da Alemanha.

Günter Grass: O poema da controvérsia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: